Missão Institucional


Estatuto Art. 1o, § 2o: A SMEL tem por missão institucional promover o acesso à cultura, com ênfase no desenvolvimento de trabalho sociocultural voltado para crianças, adolescentes e idosos em situação de vulnerabilidade social, a revitalização da centenária banda de música Euterpe Lumiarense e o resgate do patrimônio histórico, natural e cultural do 5º e 7º distritos de Nova Friburgo, englobando todas as suas respectivas localidades, com o reconhecimento e valorização da cultura tradicional local.


segunda-feira, 20 de dezembro de 2010



Euterpe Lumiarense consagra sanfoneiros Desde final de 2007, os sanfoneiros das localidades pertencentes a Lumiar e São Pedro da Serra têm se apresentado regularmente no coreto da Praça Carlos Maria Marchon em Lumiar. No último sábado, uma nova fase se iniciou no que já se pode chamar de Programa Sanfoneiros, com a presença da Sociedade Musical Euterpe Lumiarense (Smel) na coordenação da atividade.
Em parceria inédita da Smel com a Prefeitura de Nova Friburgo, representada pelas secretarias de Cultura e Turismo, as apresentações dos sanfoneiros passaram a fazer parte da agenda turística oficial de Nova Friburgo e a Prefeitura garante fornecimento do som para as apresentações mensais.

Outra parceria importante é com a empresa Caminhos Dourados que permitirá que os sanfoneiros mais idosos e que residem afastados do centro da vila possam compor o grupo, já que a idade avançada, o peso da sanfona e a falta de transporte impedia essa participação.

A notícia de que as apresentações passaram a ser reconhecidas pela Prefeitura de Nova Friburgo como de grande valor no resgate da memória musical de outros tempos entusiasmou os sanfoneiros. Esse entusiasmo os levou a se apresentarem com emoção, dando um toque todo especial ao dia 13 de março. A Euterpe vem tentando organizar melhor as apresentações, com direção musical, visando a formação mesmo de uma orquestra de sanfoneiros. Essa iniciativa, que ainda não pôde ser implantada, foi suficiente para animar os músicos a ensaiarem por conta própria, o que foi perceptível na última apresentação.
Neste sábado, antes de se dirigirem ao coreto, os sanfoneiros deram um giro por Lumiar, sempre tocando, saindo da sede da Euterpe, contornando o lago e finalmente chegando à praça. É um novo formato que se imprime ao evento que se integra ao turismo local.

Antiga tradição Os sanfoneiros fazem parte da vida cultural da região há muitos anos. “Eles animavam festas em que tocavam durante a noite inteira, à base de café e broa de milho”, explicou Manoel Antônio Spitz Sodré, historiador e presidente da Euterpe Lumiarense.
A broa faz parte da tradição local e era feita com muitas verduras e legumes misturados na massa, para ajudar a sustentar o dia de trabalho na roça. Atualmente, só se encontra a tradicional broa na festa junina da Vila Mozer. Mesmo assim, é por pouco tempo. A broa começa a ser produzida antes da festa e, no dia mesmo, já não se encontra mais. Parece que o povo local procura na broa uma celebração, uma espécie de comunhão.
Quem também fala das festas com broa e café é Paulino José Schuabb que, com 79 anos completados em 19 de dezembro de 2009, é também o mais velho do grupo. Nascido em Macabu, toca sanfona desde os 10 anos e mudou-se para Lumiar em 1950. Ele não esteve presente na última apresentação – coisa rara – por um motivo: homem muito religioso, estava no centro de Nova Friburgo, na missa pela posse do novo bispo, dom Edney Gouvêa Mattoso.***fonte: A Voz da Serra Nova Friburgo .


Um comentário:

Eduarda disse...

Fonte:A voz da serra AVS de Nova Friburgo